[Literatura] Resenha: Museu de ladrões



Museu de Ladrões





Bem-vindo à tirânica cidade de Jewel, onde a impaciência é um pecado e a ousadia é um crime. Goldie Roth viveu em Jewel por toda a sua vida. Como toda criança da cidade, ela deve andar presa em correntes até o Dia da Separação, e é forçada a obedecer aos temidos Guardiões Abençoados. Quando o Dia de sua Separação é cancelado, por causa de uma misteriosa ameaça à cidade, Goldie não suporta a ideia de ser novamente acorrentada e foge para o Museu de Dunt, onde conhece Toadspit. No entanto, seus dias não serão mais calmos que antigamente. Os corredores do Museu são cheios de armadilhas e segredos adormecidos que se despertos podem acabar com a vida na cidade. Mas se você pensa que esse livro traz histórias de crianças, está inteiramente enganado. Morte, suspense e muita crueldade envolvem o primeiro volume desta trilogia, em que os protagonistas terão que provar suas habilidades e frieza para garantir sua sobrevivência.

Na cidade de Jewel as crianças são acorrentadas até o Dia da Separação. São acorrentadas, com o medo de que uma delas possa morrer, por doenças, fome, guerras, etc. Como antigamente, ou seja, hoje em dia.
A Protetora, quem manda na cidade, abaixa a idade da separação para 12 anos, justo a idade da nossa protagonista, Goldie Roth. Ela está feliz da vida, pois, finalmente, vai parar de obedecer os Guardiões Abençoados, quem cuida das crianças, mas ele é cancelado, crianças morrem na cidade de Jewel, devido à uma ameaça desconhecida. Goldie não aguenta mais ficar acorrentada faz uma providência: foge. Ela vai acabar no Museu de Dunt.

Um museu com muitos segredos que o Orientador quer descobrir, deixando o humor do museu, sim ele tem humor, péssimo. Para deixá-lo mais feliz os defensores, Herro Dan, Olga Ciavolga, Sinew, Broo, Morg, Toadspit e, agora, Goldie terão que batalhar, pondo suas vidas em risco para salvar a cidade dos males que o museu guarda.

Criei grandes expectativas para o livro e me desapontei. Achei que amaria como eu amo THG, por exemplo. A narrativa da autora não me transportou para Jewel, como normalmente ocorre, sou transportada para o local narrado. Apesar de ser uma trilogia a autora dá um fim a esse livro, um bom fim, que dá a entender que acabou, não tem mais história, com esse final não estou empolgada para o segundo como achei que ficaria.

Os personagens não são bem descritos, nem fisicamente, nem psicologicamente. Até a Goldie, que é a protagonista, não sei bem como ela é, nem por dentro, nem por fora.
O diferencial desse livro é que não tem nenhum romance, nenhum, mesmo. Acho que estava precisando disso depois de ter lido vários livros com bastante romance.

Se você não criar muitas expectativas para esse livro acho que vai gostar.

Beijoos,
Isa

7 comentários:

  1. Oie :)

    Nossa eu tenho muita vontade de ler esse livro, mas ainda bem que li a sua resenha agora sei que devo ler sem tanta expectativa, odeio quando a autora não constrói bem o personagem, beijos :D

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  2. Que pena que você não gostou, Isa! Desculpe ter te enchido de expectativas!

    Beijos,

    lulu
    http://blogamantesdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hhahahah, sem problemas, Lulu,
      Beijoos

      Excluir
  3. Não conhecia *--*
    Muito interessante .... quero ler..
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Oi Isa, tudo bom? (((:
    achei a história desse livro meio confusa, mas ainda assim bem criativa. Mesmo assim, não consigo me imaginar lendo esse tipo de livro, não sei se pela capa ou pela história... mas é realmente uma pena que você tenha se desapontado \: . Tem vários autores que, independente de ser uma série ou trilogia, sempre conseguem terminar a história no primeiro livro, e nos seguintes acaba inventando uma coisa totalmente diferente do primeiro (mesmo tendo a mesma base da história). Por um lado isso é bom né? pelo menos você não sente aquela necessidade pelo próximo volume (e acaba não gastando horrores)... bom, pelo menos é um ponto positivo para o leitor né? já para o escritor e as editoras... ashdiuhaiudhaiushdiuahsdisiuad.
    Gostei da resenha, bem sucinta u_u

    Beeeeijinhos e uma ótima sexta-feira! :*
    www.inconstantecontroversia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, pensando por esse lado é bom, mas coitadas das editoras hahhahha!
      Brigada,
      Beijoos

      Excluir