[Resenha]: Os Treze Porquês

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Hannah se suicidou. Sem uma explicação do porquê para ninguém.
Pelo menos era isso que Clay pensava...
Clay Jensen encontra, na entrada da sua casa, uma caixa de sapatos sem remetente. Dentro havia sete fitas cassete, cada um com dois lados, fita 1 lado A e lado B, fita 2 lado A e lado B e assim por diante, menos a última fita que só tem um lado. O áudio? O “bilhete de suicídio às avessas” de sua amiga Hannah Baker. Ela gravara aquelas fitas para as pessoas que, segundo ela, a fizeram cometer suicídio, pessoas que a ridicularizaram e criaram boatos sobre ela na escola, que não a ajudaram quando mais precisava. Clay está na lista. Mas não sabe o motivo já que julgava nunca ter feito nada para machucar Hannah.
O inicio do livro é uma coisa tensa: Clay não sabe o motivo de ter recebido a caixa com as fitas, não sabe qual delas fala sobre ele, não sabe quem já as ouviu e quem sabe segredos que ele próprio não sabe. Ele sente medo, angustia por ouvir novamente a voz de Hannah, sente-se culpado e teme que descubram o que ele está ouvindo. Essa tensão se perde um pouco em alguns momentos do livro, mas muitas vezes levei sustos, fiquei nervosa. O livro te prende justamente pela curiosidade de saber quem será o próximo e qual sua contribuição para a decisão final de Hannah.
Comecei a gostar da Hannah já na primeira fita, quando nas lembranças ela se mostrava uma pessoa amável e cheia de sonhos. Já o Clay, fui me apegando muito a ele, e ao longo do livro tive um sentimento de pena, porque se alguém realmente ia ficar mal com aquelas fitas, seria ele.
Os primeiros "porquês" me pareceram um tanto bobos, mas é aí que entra o efeito "Bola de Neve", como fala Hannah. Se pararmos para recapitular a história no final, vemos que um motivo que parecia bobo no começo, foi um dos motivos que fez ela desistir dela mesma.
Uma das coisas que mais gostei, é o tempo em que se passa a história, porque mesmo o livro sendo ambientado nos dias de hoje, ele me passou uma ideia dos anos 80.

"Mas você foi a pessoa que tirou tudo isso de mim. Bom... nem tudo. — A voz dela treme — Mas tirou o que havia sobrado." — Página 78

Bjs,
Maria

6 comentários:

  1. Oie :)

    Quero muito ler esse livro para descobrir minha opinião sobre ele e o que vou achar de todo o enredo, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim! É um ótimo livro.

      Bjs,
      Maria

      Excluir
  2. Oi Maria...!
    Nossa quanto tempo faz que eu quero ler esse livro kk, mas acabo comprando outros livros ao invés dele kk...!
    Ótima Resenha...!

    Att. Guilherme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm faço isso as vezes, mas vc poderia tentar colocar esse na frente de outro.
      Obrigada.
      Bjs,
      Maria

      Excluir
  3. Olá Maria! Adorei a resenha, fiquei com MUITA vontade de ir comprar o livro! Com certeza está na minha wish list

    Beijos,

    Lulu
    http://blogamantesdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir